A palestrante Paula Guimarães, do portal Catarinas falou sobre sua experiência de jornalismo de gênero

 

 O debate do quarto dia (18/08) da 25ª Semana de Comunicação foi diferente dos primeiros. Ao contrário de abordar causas e consequências das crises do jornalismo, as palestrantes Paula Guimarães, do Portal Catarinas e Andrea Dip, da Agência Pública, mostraram possibilidades para um jornalismo indepentende.

 

O Portal Catarinas é uma das primeiras experiências do país de um portal de jornalismo independente com ênfase nas questões de gênero e atuação feminista. Essa vanguarda trouxe muitos desafios, tanto com questões de financiamento do projeto como de aspectos editoriais da profissão, mas Paula ressalta que nem tudo nas mudanças dificulta o trabalho.

“Hoje a gente tem uma comunidade que trabalha junto. Os leitores gostam de se ver fazendo parte do projeto”, explica.

Já a Pública é conhecida por matérias de direitos humanos feitas em formato investigativo. De caráter também independente, a agência se financia através de editais e projetos de fundações, como a Ford, por exemplo. Andrea Dip afirma que isso não é um problema, e sim uma saída. “O problema de financiamento dos jornais é, na verdade, o modelo antigo de financiamento. Hoje eu recebo um salário mais justo do que quando eu trabalhava na mídia tradicional”, esclarece.

O aluno Pedro Guimarães teve seu ânimo renovado após assistir a palestra. “Falas como as delas são algo muito bom de se ouvir durante uma graduação pesada como é a do nosso curso. Todo dia na Universidade nos damos conta do quanto o mercado de trabalho está hostil, elas trouxeram esperança. Nem tudo está perdido”, opina. 

Veja também
29/06/2016 - Representação da mulher na mídia é destaque do segundo dia da Semana da Resistência
27/06/2016 - Direitos humanos é tema da XI Semana da Resistência

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar